Em pauta para o ABC Domingo percorri o Rio dos Sinos da nascente a foz

*

Sou jornalista formado pela Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul) desde 2005, especialista em Comunicação em Saúde pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos)/Escola de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (ESP/RS) desde 2011. Participei também do curso de Introdução à Infografia e Visualização para Jornalistas do Centro Knight da Universidade do Texas (EUA). Atualmente trabalho como editor dos sites dos jornais (Jornal NH, Jornal VS, Diário de CanoasJornal de Gramado, Correio de Gravataí e Diário de Cachoeirinha) do Grupo Sinos, em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul. Na empresa, como repórter e editor do jornal ABC Domingo, tive participação em série de reportagens vencedora do 22º Prêmio Setcergs de Jornalismo, realizado em 2009. Em resumo sou isso. Mas o jornalismo é uma paixão antiga, cultivada desde criança.

*

Assim nasceu o jornalista

*

Com minha mãe (foto) e meu pai visitei a Serra do Corvo Branco, perto de Tubarão, em uma grande nevada na década de 90

*

Brinco às vezes com quem me pergunta porque sou jornalista. Digo que sou desde pequeno. Na verdade é quase isso. Meu pai é jornalista e o acompanho no trabalho desde criança. Eu vi ele reporteando na sucursal de Tubarão (SC) do Jornal de Santa Catarina, do jornal O Estado e do A Notícia. Em casa eu ficava observando o seu Guedes diagramando jornais na era da Letraset e diagrama de papel. Desta fase, nos anos 90, me lembro do dia em que o JB Guedes foi cobrir a visita do ex-ministro do Meio Ambiente Sarney Filho, em Lauro Müller (SC). Inverno, fazia muito frio. Depois de umas quatro horas de pauta, à noite, vi meu pai escrevendo a matéria num bloquinho e passando para o A Notícia, em Joinville (SC), de um orelhão, ditando o texto palavra por palavra. Depois desse dia, notei como era desafiador e legal ser jornalista.

Durante minha adolescência ele era editor-chefe do Diário do Sul, prestava serviços editoriais para a sucursal local do Diário Catarinense e era assessor de imprensa. Com a informatização do jornalismo passei a ajudá-lo nas tarefas extras, diagramando páginas, fazendo peças gráficas, escrevendo notas e fazendo algumas fotos. Foi assim que comecei, ganhando uma breve experiência logo em meus 15 anos de idade.

Aos 18 anos, em 2001, entrei para o curso superior em Comunicação Social – Habilitação em Jornalismo, da Universidade do Sul de Santa Catarina (Unisul), campus Tubarão. Aos 22 já era um jornalista formado. Para crescer ainda mais, resolvi encarar a carreira solo, aqui no Rio Grande do Sul, onde estou até hoje.