Infografia x Ficção

Estudando alguns materiais do curso que estou fazendo de Introdução à Infografia e Visualização para Jornalistas, do Knight Center for Journalism in the Americas da Universidade do Texas, aproveito para compartilhar o Manifesto contra Infografia-Ficção, divulgado em maio deste ano. São seis recomendações pensadas pelo britânico Juan Antonio Giner, fundador da Innovation International Media Consulting Group e Alberto Cairo, diretor de infografia da revista Época e meu professor. Outros 58 jornalistas experts em design de 22 países endossam o documento.

Acredito que o conteúdo seja muito relevante e nos ajude a pensar melhor os infográficos observando a ética e a informação com qualidade.

  1. Um infográfico é, por definição, uma exibição visual de fatos e dados. Portanto, infográfico não pode ser produzido na ausência de informações confiáveis.
  2. Infográfico não deve incluir elementos que não são baseadas em fatos conhecidos e evidências disponíveis.
  3. Infográficos não devem ser apresentadas como sendo factual quando é ficção ou baseado em suposições não verificadas.
  4. Infográfico não deve ser publicado sem creditar a sua(s) fonte(s) de informação.
  5. Gráficos profissionais de informação devem se recusar a produzir qualquer apresentação visual que inclui componentes imaginários concebidos para torná-lo mais “atraente” ou “espetacular”. Os editores devem abster-se de pedir gráficos que não estejam baseados na evidência disponível.
  6. Infografia não é ilustração, nem “arte”. Infográfico é jornalismo visual e deve ser regido pelas mesmas normas éticas que se aplicam a outras áreas da profissão.

Confira o texto original no Nieman Watchdog.