A nova rotina do procurador da República Celso Tres

São poucas as oportunidades de escrever de um assunto comum a Tubarão, minha terra natal, e Novo Hamburgo, a cidade que acolheu meu talento, meu trabalho.

Apesar dos 300 e poucos quilômetros de diferença, de ter quase o triplo de diferença de população, Tubarão e Novo Hamburgo têm em comum o fato de contar com os trabalhos do procurador da República Celso Tres. Na semana passada tive a honra de entrevistá-lo para uma reportagem publicada na edição do dia 22 deste mês do ABC Domingo.

[issuu viewmode=presentation layout=http%3A%2F%2Fskin.issuu.com%2Fv%2Fcolor%2Flayout.xml backgroundcolor=FFFFFF documentid=110524183031-d21edd62e7c64e2ba4d0cb984010c812 docname=celsotres username=gabrielzguedes loadinginfotext=Uma%20vida%20pela%20moralidade%20pública showhtmllink=false tag=brasil width=420 height=562 unit=px]

Tres deixou Tubarão no final de abril e desde então está atuando na Procuradoria da República de Novo Hamburgo, que é encarregada de 25 de municípios do Vale do Sinos, aqui no Rio Grande do Sul.

O procurador, que tem uma impressionante história de vida, é conhecido como um ferrenho protetor da moralidade pública. Em Tubarão, tenho certeza, ele não deixará saudade. Era algoz daqueles que não estão nem aí para boas práticas na administração pública. Tres defendeu temas de interesse da região, como a duplicação da BR-101 e a preservação do Complexo Lagunar. Em compensação, acabou com a alegria daqueles falsos pescadores que fraudavam o seguro-defeso, prefeitos que gastaram toda a grana para construção de casas populares antes mesmo de ficarem prontas, etc. Na conversa comigo, ele ainda lamentou o fato de não ter conseguido verificar o paradeiro das verbas destinadas para retirada dos trilhos da Ferrovia Teresa Cristina da área urbana de Tubarão. A intervenção foi anunciada como mega obra pelo prefeito na época, Carlos Stüpp (PSDB), acho que lá por 2004, 2003, mas de fato nunca chegou a sair do papel. E o dinheiro? É, Tres não teve tempo de investigar…

Em Santa Catarina, ele ainda enfrentou a RBS, ao questionar o oligopólio de mercado de mídia de massa, com predomínio de cerca de 80% no Estado catarinense. Afinal, em 2008, com a compra do jornal A Notícia, a RBS aniquilava com o principal concorrente do Diário Catarinense. Hoje, o AN é um minúsculo jornal de Joinville e região.

Em Novo Hamburgo não será diferente. Tres promete devassa sobre as contas públicas dos 25 municípios de sua alçada. Quer rever o destino de verbas repassadas pela União. Também pensa em colaborar com o cerco contra aqueles empresários que não estão nem aí para o Rio dos Sinos, que cometem crimes ambientais mesmo contraindo financiamentos e incentivos do BNDES e Caixa, e também contra as calçadistas que usufruem dos mesmos benefícios, mas acabam demitindo em massa centenas de pessoas de uma só vez. A Vulcabras|Azaléia, que demitiu agora em maio 840 pessoas de sua unidade em Parobé, já é alvo de trabalho de Celso Tres.

Em outubro ele deverá atuar em Passo Fundo. Mas aqueles que se sentirem incomodados não devem soltar foguetes. Em março, ele volta em definitivo para o Vale do Sinos. Acredito que teremos muitas boas pautas daqui a diante.